• SR. JORGE

Depois do briefing… Debriefing!

Gosto muito de escrever por aqui e, mais ainda, quando trago assuntos que fazem parte do nosso dia a dia na comunicação e no marketing. Depois de falar da importância do briefing (vale ler o texto completo aqui), hoje, volto para trazer a segunda parte desse papo: o debriefing. Quer saber melhor como essa prática pode afinar a integração e os resultados do trabalho? Te conto tudo a seguir!


Debriefing, para quê?


Vamos fazer uma comparação rápida com a época de fim de ano. Olhamos para trás e analisamos como caminhamos até aqui. O que teve de bom, o que não foi tão positivo, quais aprendizados vieram e quais desafios foram evidenciados em nossa jornada. O debriefing segue este mesmo pensamento. Tão importante quanto planejar e equalizar expectativas no início de um job, é entender como ele aconteceu, o que deu certo, o que pode ser melhorado e quais lições para os próximos trabalhos que virão.


“O debriefing é um instrumento de aprendizagem e melhoria contínua.”

Lena Souza, Empreendedora, coach, cerimonialista, palestrante, escritora.


É preciso encarar o debriefing de uma perspectiva de aprendizado constante e compartilhado, afinal, uma das habilidades mais requisitadas para os profissionais atualmente é a capacidade de aprender rápido, ser flexível e converter todos os momentos em oportunidades de aprendizagem para se manter em movimento. Ou seja, não se trata apenas de uma etapa para “cumprir tabela”, mas, sim, uma excelente janela de avaliação e aprimoramento do trabalho e da equipa.


Quando feito em conjunto, com todos os envolvidos no trabalho, inclusive o cliente, o debriefing fica mais rico, porque traz diferentes pontos de vista e percepções que ajudam contemplar o trabalho em sua totalidade, apontando caminhos mais interessantes a serem seguidos. Assim, os desafios que vierem na sequência já contarão com um olhar mais atento e integrado entre todas as partes.


Agora que já entendemos que o debriefing não é apenas um “to do” chato de ser feito, vamos ao pontos principais para essa conversa fluir e realmente ser efetiva, longe de julgamentos. Siga a leitura!



Quais as perguntas essenciais no debriefing?


A primeira coisa que é imprescindível para uma reunião de debriefing é abraçar a proposta de aprender, sem usar este momento para apontar dedos, julgar um profissional ou dar um feedback não construtivo. Lembra que comentei que a escuta é fundamental para o briefing? Então, aqui, é a mesma coisa. Ter uma atmosfera segura para falar e ouvir faz toda a diferença. Com um senso de coletivo estabelecido, pode ter certeza de que o resultado será muito positivo!


Vamos, então, ao escopo desse encontro. São, ao menos, essas quatro perguntas:

  • O que foi planejado?

  • Como aconteceu, de fato?

  • Por que foi assim?

  • O que fazer no próximo trabalho?


Como o objetivo é extrair o máximo de insights e revisões, as duas últimas perguntas devem demandar mais tempo e dedicação para serem respondidas. Dessa forma, o resultado dessa experiência será mais claro para ser implementado em um próximo job.


Uma coisa que é bem fixe de compartilhar com vocês é que, aqui na Sr. Jorge, além de fazer os encontros com cliente e equipa para alinhar a demanda desde o início, na parte do briefing, também temos um “debriefing extra”, digamos assim. Nossa proposta é que a equipa toda leia o briefing preenchido para que possamos falar sobre a interpretação das informações e formular juntos os próximos passos, além de também ser uma excelente oportunidade de esclarecer dúvidas.


Cada projeto é único. Cada job, um mundo. Cada estratégia, um desafio. Então, para Jorges&Jorginas, #NuncaSeráSóUmBriefing. Será sempre uma chance de aprender, evoluir e ir além <3


E você? Também quer partilhar os objetivos da sua marca com uma equipa que faz acontecer? É só enviar um e-mail pelo geral@srjorge.com e vamos trocar experiências para construir uma comunicação ainda mais estratégica.


Até logo!

Sr. Jorge



44 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo